Archive for fevereiro \28\UTC 2009

h1

Uma puta nerd

28 fevereiro, 2009

Estava num bar. Desses que não têm uma luz decente. Ajuda nas horas de picotagem. Entra uma figura com uma capa de jedi. JU-RO.
Sentou do meu lado. Sem o mínimo de pudor, perguntei:
– Olha, não é por nada não. Mas a capa de Jedi é porque…?
– Ih, você entendeu a referência? São 50 contos a chupada. É fã de quadrinhos?
– Tu és puta? Não acredito! Te dou 50 contos, pago uma bebida, mas me conta esta tua história.
– Pede uma gin tônica, por favor. E os 50 contos… seguinte, eu tinha uns 17 anos. Comecei com alguns amigos meus. Admito: sempre fui amiga de nerd. Meus amigos nerds eram pessoas excelentes, muito inteligentes e que nunca comiam ninguém. Porra, eu ficava puta com isso. E fiquei de verdade. Não tenho vergonha não. Sou puta, mas me especializei em nerds.
– Faz sentido. Também não ficaria envergonhada.
– Foi pelo social, te dizendo a verdade. Pena mesmo. Um amigo meu que aos 18 anos nunca tinha beijado ninguém e nunca tinha visto peito nem da prima. Foi só pra ajudar, eu juro.
– E ele te pagou por isso?
– Ganhei um playstation em troca. Depois vieram a minha televisão, um notebook… é eles pagam bem. Junta anos de mesada, sem birita nem drogas, pra tu veres?
– E você começou a cobrar 50 contos quando?
– Perdi a vergonha e o discurso social. Ajudar é o caralho! “Chupa o meu sabre de luz” é foda ouvir isso de graça.
– E essa fantasia toda? Devias cobrar mais caro, mana. Sinceramente.
– Ai… esses cosplays me matam. Enquanto a classe se faz de enfermeira, eu tenho que ser a Mary Jane ou a Louis Lane. Estes são os piores, metidos a mocinho, saca? Os caras sempre ficam na dúvida na hora de meter: “será que é correto? E o meu grande amor, como fica?”
– O bom é que pelo menos não tem concorrência, né?
– Mas eu já tou me preparando pra isso. Tou fazendo umas melhorias no material de trabalho. Já orientalizei os olhos e vou botar silicone, ficar assim, que nem um daqueles desenhos que eles adoram, os Mangás. Uma galera novinha que tem me procurado. Adoram isso.
– Pows, e eu sempre dando pra esse povo de graça. Não tem nenhuma dessas coisas que você não use mais? É que o meu namorado é meio fissurado, meio nerd…
– Olha, se tu quiseres comprar, tenho uma lingerie com os botões do joystick do Nintendo. É super instrutivo, principalmente quando eles usam os macetes do jogo.
– Putz! Agora mesmo! Mas e aí, tu tens uma galera fixa? O que tem de amigo meu que ia adorar te conhecer…
– Eu tenho até perdido uns clientes. Ficam confiantes e finalmente vão atrás de mulher. Mas continuam amigos, sempre me ligam pra contar um macete novo ou em que fase eles estão no jogo com a namorada.
– Taí… gostei de ti. Te arranjo uns clientes novos. Tem uns emos aí que eu conheço…
– Ah… esses emos podem mesmo até ser uma boa, um bando de moleque sem coragem na vida, mas sei não. Não sei se ia agüentar alguém chorando enquanto goza.
_______________________________________________
Uma das personagens da nova temporada do meu show.
Eu sei, eu fazia mesmo só stand-up.
Mas agora vão ter personagens também. Montando a puta nerd ainda. Voz, roupa, trejeitos.
Aguardem também pela Weblen Nogueira, blogueira, orkuteira e tuiteira.Tem que aceitar! Não gostou? então bloqueia!

h1

Produto Light (para as tuiteiras LuBrasil e JaneMurback)

28 fevereiro, 2009

– Eu quero aquilo que deixa a gente leve, sabes?
– Como assim? bolas de gás?
– Não, aquilo que deixa a gente meio boba, leve…
– Não moça, não vendemos drogas aqui….mas se a senhora for bem ali na esqui…
– Não! Eu acho que isso não é droga não! Mas eu ouvi dizer que é assim, deixa a gente leve, e eu tou querendo me sentir assim….
– Moça, aqui, que deixe leve, só tem produto ligth…. a senhora viu aquele comercial deste adoçante aqui? Dizem que emagrece rapidinho…
– Não, não… o senhor não está entendendo…
– Hum….. entendo….
– Não é bem um produto assim, bem acabadinho…. deve ser pra gente montar ainda…. e deixa a gente leve… e se emagrecer… deve ser consequência de outro esforço…. mas eu sei que é isso…. eu ouvi um moço esguio cantando isso….
– Um de cara pintada?
– É! E ele disse que era leve… mas que não era leve coisa nenhuma também… sei lá. dizem que nesta loja tem tudo, deve ter isso…. às vezes me dá vontade de inventar qualquer coisa parecida… mas nunca é igual ao que eu pensava que seria….. fica com gosto de hortelã….
– Ah! É de comer? Tem a sessão de frios ali… pode ser algo do tipo…
– Não!!! frio não!!!! tem que ser alguma coisa com pimenta!!!
– Pow, mas não era com hortelã?
– Não…o que eu nvento tem gosto de hortelã… este não, tem que pelo menos ter cheiro de pimenta… e sei lá…. preciso disso, me sentir leve…. mas o que eu invento nunca dá certo.
– A senhora já pensou em jogar bola?
– O Quê?!!!!
– É… jogar bola… dizem que é bom pra deixar a gente leve… sua bastante…
– Ah… obrigada… vou tentar…
– E, olha, não tem gosto de hortelã!
– Mas tem pimenta?
– Não… mas aí… a senhora já tá querendo demais!!!!

h1

Tempos bons aqueles…

27 fevereiro, 2009

Tempos bons aqueles em que a gente podia ligar pra casa do nosso picote e desistir no meio da ligação antes da pessoa atender.
Uff… era um alívio.
Não, a gente não tinha feito besteira, não tinha ligado antes de ele ligar.
Sim, nossa honra e dignidade não estavam no lixo.

Aí, acontece que hoje em dia tem bina em tudo que é telefone.

Você comete o erro de ligar e fica naquela de desistir no meio, mas aí… já era!!!
Ele já vai ver que você ligou, sua dignindade está em bosta. E se você desistir é pior. o cara ainda vai pensar que você está dando um toque. Pobre.
Ele retorna e faz a fatídica pergunta: Você me ligou?
e a vontade de responder é:
– Nããããão tua bina que tá me caçando, sabe como é? Tudo teu me ama! Inclusive tu, sabias?
Mas ao invés disso, tudo o que tu falas é: liguei? nem percebi…

Bina e soneca do despertador. Nossos piores rivais do século.

Duas letras pra isso:uó!

h1

O que te faz torcer para o América-RJ? Post para Pedrox

25 fevereiro, 2009

Essa foi a pergunta feita pelo blogueiro Pedrox.
Em uma palavra: sangue.
Sei te dizer que sou uma adoradora do esporte que põe 20 homens correndo atrás de uma bola e 2 fugindo dela. A-DO-RO! Assistir futebol é uma das minhas maiores diversões. assisto até pelada de fim de semana.
E que além da seleção brasileira, o único time que faz meu coração vibrar de verdade é o America Football Club.

Não tem explicação, Pedrox. sério.
É a pulsação que fica diferente, a respiração que começa a ficar ofegante só de ouvir o hino.
Até tenho uma certa simpatia pelo Vasco e um amor recente e incontido pelo São Paulo. Mas só. Torcer mesmo. desde criancinha. só pelo Mecão.

Lembrei de quando me apaixonei pelo América Football Club. Time vermelho e branco, uniforme lindo e tinha as minhas iniciais: AFC. Fissurei. Pena que ele perdeu pro Botafogo no dia da nossa primeira partida juntos, se não me engano foi de 2×0 no Maraca, eu tinha 6 anos, eu acho.

Passaram os anos e só o voltei a torcer de verdade no começo de 2000, jogo que o Mecão deu de 3×0 na Seleção Carioca (alguém lembra disso?) na Baixada Fluminense, inaugurando o Giulitte Coutinho.
Foi lindão. Descobri que não, a pessoa não se torna Mequinha, nasce Mequinha. Torci pra caraleo. Nem dava pra entender. Xinguei juiz, gritei, urrei!
Quando fui de férias ao Rio, depois de passar no vestibular lá por fevereiro de 2002, vi o HISTÓRICO 4×0 no Flamengo. CHUPA, rubro-negro!!!!
Mengo este que, todos sabem, é o ódio de todo não-flamenguista.
Principalmente eu.
Tudo bem que eu só via o campeonato carioca, já que Brasileirão mesmo que é bom, só série C.

Último momento glorioso que lembro foi eu acompanhar o namorado flamenguista ao Maraca, e ficar torcendo através do placar para o Mecão ganhar o Vasco de 2×1 em outro estádio.

Foi um sofrimento acompanhar assim, mas terminado o jogo, vibrei pra cacete, sem ninguém entender. Afinal, o Mengo deles tava indo, mas nem tanto.
Depois só pude encarnar no meu pai vascaíno no começo de 2007, quando o Mequinha ganhou o Vasco e no fim de semana seguinte deu-lhe de 2 no tricolor carioca.

Entre o Mecão campeão cheio de craques de 1900 a 1978 (por aí) e o Mequinha de hoje (que já levou, ano passado, uma surra de 3 do Fla com direito a gol do OBINA, vcs acreditam? ODE-I-O obina),
ficam a bela cor,
a raça da torcida (que sofre, ow sofre)
e a história de uma equipe gloriosa.

Até o Tim Maia era Mequinha e o pai do Romário também é.
Eu sou Mecão de coração, de ficar mufina.
Não dá pra explicar. Só dá pra fazer que nem o João, lá do doc Unido Vencerás, que diz assim: Todo torcedor do America é maluco. Eu lhe falo isso com toda a clareza. Cara que é America é maluco, não é bom das idéias… (aí ele se inflama por causa de um jogador) o que tu ainda tá fazendo no America, rapá?! Filhadaputa injusto! Vai tomar um tiro no cu, filhadaputa!

né?
HEI DE SOFRER,
SOFRER, SOFRER,
HEI DE SOFRER ATÉ MORRER,
MORRER, MORRER
POIS A TORCIDA AMERICANA
É TODA ASSIM
A COMEÇAR POR MIM
A COR DO PAVILHÃO
É A COR DO NOSSO CORAÇÃO
OS NOSSOS DIAS DE EMOÇÃO
TODA TORCIDA CANTARÁ ESTA CANÇÃO

Sem maiores explicações… uma lambidinha no cu e memandaumscrap!

h1

Sangue rubro

23 fevereiro, 2009

Neste dia cu de carnaval, estava eu cá entediada até que no Twitter o Arnaldo Branco deu a dica: assista o documentário curta metragem sobre a torcida do America.
Pows. eu sou sangue rubro. A-Mô o America, fui lá assitir.
Cara. salvou meu dia.
Defina alegria.
Anne assistindo o documentário e não se sentindo mais só no mundo.

Pra quem gosta mesmo de futebol e sofre por seu time do coração, nada melhor do que ver uma torcida tão envolvida como a nossa.
Vai lá e assiste. Lagrimei no fim.
Porque ei de torcer, torcer, torcer, hei de torceraté morrer, morrer, morrer… pq a torcida americana é toda assim, a começar por mim!

h1

O óbvio

23 fevereiro, 2009

Existem poucos prazeres tão simples quanto peidar.
Para todos os outros, existe K.Y.

Desculpem a escatologia, mas é pura verdade.

h1

Sécsi

20 fevereiro, 2009

Mana. sei ser mulherzinha não.
Tenho que dividir isso com vocês,mas toda vez que eu coloco uma daquelas calcinhas de fiozinho (aquelas que a gente não sabe nem por onde que veste) eu fico um tempão incomodada e até com vontade de peidar.
Quer dizer, pessoa não nasceu meeeesmo pra ser picote. ticontá.